Seja mais rebelde

Aqui, nesse contexto, a rebeldia proposta está relacionada à questionar o pensamento dominante. Não é porque a maioria tem determinada opinião que isso necessariamente será a verdade.

Quando pensamos em religião por exemplo, se a força criadora é onipresente, por que precisaríamos de uma estrutura religiosa para balizar nossa relação com o divino?

Outro ponto para se refletir é sobre a quantidade de remédios que consumimos. Até que ponto eles são realmente necessários? Entendo que antibióticos salvam muitas vidas, assim como algumas outras medicações são indispensáveis para determinados quadros clínicos, mas o que nos impede de tratar uma simples dor com um chá?

Questionar é importante para sabermos se algo é ou não para nós. Mas é fundamental saber o momento certo de ser “rebelde”. Se após refletir sobre essas estruturas sociais, crenças e pensamentos coletivos achar que isso faz sentido para você, está tudo bem.

Mas lembre-se que tanto os grandes mestres da humanidade quanto empresários que obtiveram muito sucesso têm uma característica em comum: eles questionaram as regras vigentes. Aí eu lhe pergunto, vale mais a pena pensar como a maioria ou seguir os ensinamentos daqueles poucos que se rebelaram e fizeram a diferença?

#souhortelã

Reflexão de Keith Cheli Kanasawa, chef da KeroBistroEmCasa

insta: kerobistroemcasa

https://www.facebook.com/kerobistroemcasa

Published by Keith Cheli Kanasawa

Gastrônoma e Relações Públicas de formação, tenho muitas paixões, entre elas corrida de rua, comida, fotografia, jardinagem, marketing digital e escrever.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: