Eu na CPTM: é bom ter cuidado com que você fala

Eu ando muito de trem, atravesso São Paulo e algumas cidades vizinhas nos meus deslocamentos até o trabalho. Além de seguro e barato, em muitas situações é um meio de transporte muito mais rápido do que o automóvel.

São Paulo é uma cidade que medimos o deslocamento por tempo e não por distância, pois, em função do número muito grande de carros, podemos demorar até 2 horas para percorrer um trecho de apenas dois ou três quilometros.

Por vezes, a pessoa se sente muito a vontade dentro do trem, tornando-se uma extensão de sua casa, pois passa mais tempo ali do que em casa com a família. Então, as pessoas ficam muito a vontade e conversam de muitos assuntos, não raro, muito pessoais.

Inicio esta história sugerindo que usemos sempre palavras doces, para não corrermos o risco de engolí-las depois!

No trem da CPTM, todos ouvem todas as conversas

Relato de uma conversa que ouvi entre dois jovens que falavam animadamente sobre rotina de trabalho.  Os dois estavam com camiseta e crachá da empresa onde trabalhavam e sem receio ou vergonha, falavam muito mal do chefe, da maneira como ele tratava as pessoas. Por cerca de 15 minutos, trataram de assuntos muito pessoais que diziam respeito tanto ao chefe como a empresa. Por fim, um deles desceu em uma estação e o outro na estação seguinte.

Após o segundo rapaz descer, uma pessoa que estava próxima a eles pegou o telefone e fez uma chamada. Cumprimentou a pessoa e em seguida deu as características dos dois jovens perguntando ao interlocutor ao telefone se os conhecia. A resposta, aparentemente, foi ‘sim’.

Em seguida o homem que presenciou toda a conversa no trem narrou ao que estava do outro lado da chamada de celular o que tinha ouvido. Essa pessoa conhecia a rotina da empresa e com base no que ouviu dos dois rapazes recomendou ao outro que repensasse as atitudes como chefe, o modo de agir com os funcionários, pois os dois jovens haviam falado muito mal dele e da empresa.

Eu e uma amiga ficamos chocadas com a sequência de acontecimentos naquele trem. Há muito barulho dentro dos vagões o que obriga as pessoas falarem muito alto, por conta disso, alguém ouviu a conversa dos dois amigos que por coincidência, era amigo da pessoa do qual eles falavam mal. Se o chefe estivesse ali presente naquele vagão de trem, os dois se expressariam da mesma forma? Provavelmente não.  Por isso eu digo que é bom tomar cuidado com as palavras pois, corremos o risco de ter que engolí-las depois.

História de Jessica Ferreira Silva de Sousa

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: